Outsourcing a África do Sul

first_imgAs empresas estrangeiras lutam cada vez mais contra o aumento dos custos e sentem cada vez mais a pressao das metas a atingir e a África do Sul esta a tornar-se um local favoravel para aqui encetarem contratos de outsourcing.O chamado BPO, do ingles Business Process Outsourcing, ou processo de terceirizaçao, e uma tendencia cada vez maior e esta industria, que representa aproximadamente 130 bilioes de rands ao ano, tem uma taxa de crescimento estimada em 50% nos proximos cinco anos.O BPO inclui redistribuir certos processos de negocio que sao geralmente desempenhados na propria empresa por uma empresa externa, como apoio directo ao cliente ou centrais de atendimento, para efectuarem as funçoes em nome dessa empresa.Identificado como um sector chave na estrategia do governo de lançar a economia e criar emprego, preve-se que com a ajuda do BPO se venham a criar 25.000 empregos directos e 75.000 indirectos na África do Sul e contribuir assim com 7,95 bilioes de rands para a economia nacional em 2009.O Outsourcing ou terceirizaçao de serviços de informatica (IT – Information Technology) esta igualmente a florescer na África do Sul, com a diversidade propria do mercado nacional, com um know-how de cariz mundial e um ambiente de desenvolvimento propicio, que a tornam no laboratorio de ensaios ideal para quaisquer inovaçoes.O outsourcing de serviços informaticos representa mais de um terço do mercado de serviços de 30 bilioes de rands, segundo um estudo feito em 2008 pela firma de investigaçao e consultoria IDC, tomando a maior fatia de todas as categorias de serviços informaticos.A Gartner, o grupo internacional de investigaçao, classifica a África do Sul como um entre os 30 destinos de outsourcing de criaçao de software mais procurados do mundo, com a investigaçao reportada a 2007 a par de Israel, Europa, Medio Oriente e África, e a seguir a Australia e a Índia, de modo global.Calling.ZADe acordo com o jornal economico Business Day, as centrais de atendimento nacionais cresceu 8% ao ano desde 2003. Emprega 54.000 pessoas e contribui com 0.92% do PIB sul africano.Um BPO com apoio do estado, lançado em 2007, procura aumentar a competitividade da África do Sul e engloba incentivos de investimento na ordem do 1,1 bilioes de rands. O plano centra-se em:Uma estrategia ampla de marketing.Um programa de apoio governamental que inclua concessao de investimento e subsidios para formaçao.Uma estrutura crescente de preços para as telecomunicaçoes.Vantagens competitivasPara as empresas estrangeiras, a África do Sul encaixa-se entre localizaçoes nearshore como o Canada, Mexico ou Europa de Leste, que oferecem proximidade ao mesmo tempo que afinidade cultural, e as localizaçoes offshore mais tradicionais, como a Índia ou as Filipinas, que tem mao-de-obra barata.A África do Sul tem diversos factores a seu favor, entre eles:Equipas de centrais de atendimento de alto nivel.Competencia na gestao e serviços em mais de um dominio, a par com vario tipo de serviços financeiros, sobretudo no ramo dos seguros, hipotecario e processamento e recolha de emprestimos.Compatibilidade horaria com a Europa.Fluencia optima de Ingles, juntamente com alguns acentos de lingua inglesa mas facilmente entendiveis nos mercados ocidentais.Uma taxa cambial favoravel.Forte apoio por parte do governo.Incentivos com apoio do estado, por exemplo concessao de arranque e expansao e preços de telecomunicaçoes mais reduzidos.Uma crescente e avançada industria de telecomunicaçoes.O governo esta a adoptar medidas no sentido de garantir capacidade de banda larga mais barata e mais acessivel, com chamadas internacionais tambem menos onerosas. Estao a ser envidados outros esforços para colocaçao de cabos de fibra optica submarinos tanto na costa leste como oeste de África para lançar as ligaçoes entre o continente e o resto do mundo.O mundo num so paisEntre as empresas estrangeiras que ja escolheram a África do Sul como destino de BPO conta-se a IBM, Fujitsu Siemens, Lufthansa, Virgin, Sykes, Avis e a Car Phone Warehouse.O empenho da África do Sul na industria de BPO esteve em evidencia em 2007 com a decisao de construir uma central de chamadas no valor de 125 milhoes de rands, com 1500 lugares, na Zona Industrial de Coega, em Port Elizabeth, Cabo Oriental.O Parque BPO cobre cinco hectares na area comercial de Coega e inclui instalaçoes para formaçao profissional e espaços de lazer. A empresa gestora afirmou que este espaço foi criado para acolher varios cenarios e podera alojar um sem numero de investidores estrangeiros.Outros investimentos recentes: Em Maio de 2008, a multinacional Royal Dutch Shell abriu uma central de atendimento na Cidade do Cabo. O centro atendera os clientes da Shell na Belgica, Luxemburgo e Holanda, com operadores que falam Afrikaans treinados para falarem em Holandes e Flamengo.  Em Novembro de 2007, o gigante Americano de outsourcing Tele Tech começou a construir novas instalaçoes fora da Cidade do Cabo – a sua primeira base no continente africano. Este artigo foi actualizado em: Setembro de 2008Reporter infoSA. Fontes (websites em lingua inglesa):South Africa YearbookBusiness Process Enabling South AfricaDepartment of Trade and IndustryCoega Development CorportationBusiness Daylast_img

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *